Otite Canina

Publicado em: 16/03/2018 | Categoria: Dicas Pets

Quando seu cão apresenta comportamentos como: coçar o ouvido, sacudir a cabeça, esfregar as orelhas contra móveis ou o chão, mostra-se irritado e agressivo quando se aproximam de suas orelhas, pode ser que seu cão esteja sofrendo com otite. 

 

O que é otite? 

Otite é a inflamação do ouvido médio, interno ou externo. Embora gatos também possam desenvolver a otite, ela é bem mais comum em cães, por conta do formato anatômico da orelha (onde o canal auditivo é comprido e fechado) tornando assim mais provável o aparecimento de ácaros, fungos e bactérias. A otite pode afetar uma ou ambas orelhas.

Por conta dos cães possuírem ouvidos muito sensíveis, infecções auriculares ocasionam muita dor e desconforto, dessa forma assim que notado sintomas da mesma, deve-se procurar atendimento veterinário.

Otite não é um problema difícil de se tratar (se diagnosticado e medicado corretamente), entretanto se não for tratado devidamente podem ocorrer algumas complicações como: perda temporária da audição, infecções secundárias e danos à cartilagem auricular.

 

Sintomas

Os sintomas da podem variar, por conta do tipo de agente infeccioso e da gravidade da infecção, mas os sintomas mais comuns são:

  • Coceira intensa (esfregando orelhas no chão, móveis ou balançar insistentemente cabeça);

  • Secreções de cor amarelada;

  • Odor forte no ouvido do cachorro;

  • Inchaço;

  • Vermelhidão (escurecimento ou crostas no ouvido);

  • Dor (se afasta, fica irritado ou agressivo quando alguém toca ou se aproxima de suas orelhas)

 

Causas

Existem muitos fatores que podem desencadear essa inflamação do ouvido de um cão. 

Alguns exemplos de causas são: por conta da proliferação de fungos, da presença de carrapatos e ácaros, da produção excessiva de cerúmen (cera) que quando acumulada pode inflamar causando otite, da sarna otodéctica, além de outros fatores como: alergias, traumas, mudanças na alimentação, questões hormonais e a presença de elementos externos no ouvido do cão.

 

Raças mais afetadas

Algumas raças possuem uma maior predisposição para o aparecimento de otite por conta do formato de suas orelhas. Alguns exemplos de raças mais afetadas são:

  • Cão de Santo Humberto (Bloodhound);

  • Golden Retriever;

  • Dachshund;
  • Cocker Spaniel;

  • Teckel;

  • Basset Hound;

  • Setter Irlandês;

  • Pastor Alemão;

  • Labrador.

 

Tratamento

Caso haja a presença de alguns dos sintomas citados, junto ou não a outros, é necessário levá-lo imediatamente a um médico veterinário, pois quando mais rápido ocorrer o tratamento a probabilidade de que surjam complicações ou inflamações crônicas é menor. 

Não deve-se utilizar remédios caseiros ou qualquer outro tipo de medicamento que não seja receitado por um especialista, para que não haja agravamento.

O tratamento da otite varia de acordo com a gravidade e as causas da inflamação, mas normalmente realiza-se uma limpeza do canal auditivo eliminando as secreções e receitando medicamentos específicos que neutralizarão agentes causadores dessa inflamação.

 

Prevenção

A melhor forma de se prevenir a otite canina é limpando as orelhas do seu cão de uma forma periódica. (aprenda a limpar o ouvido de seu cão com nosso vídeo explicativo)


A limpeza deve ocorrer com a utilização de algodões ou gazes, nunca utilizando cotonetes, pois podem empurrar a cera para dentro do canal auditivo.

Uma dica importante na prevenção da otite é realizar tosas higiênicas periódicas, principalmente se seu cão possuir pelos na região interna da orelha.

Caso seu cão tenha orelhas muito compridas, é interessante que o pote de água seja fundo e estreito, dessa forma ele não molha as orelhas quando for beber água evitando que elas fiquem constantemente úmidas.

Se os banhos forem realizados pelo dono, tome cuidado para que não entre água nos ouvidos (pois facilita a propagação de agentes que podem causar a otite), colocar algodões hidrófobos nas orelhas dos cães é uma boa forma de prevenir. Caso os banhos sejam realizados em pet shops, certifique-se da qualidade dos produtos utilizados (para a higiene da pelagem, dos ouvidos) e da higiene do estabelecimento.

Sempre fique atento ao seu animal de estimação, caso observe alguma mudança, é importante levá-lo a uma clínica veterinária para um diagnostico preciso, garantindo assim o bem-estar e saúde para nossos pets.





Deixe seu comentário