Formas para identificar doenças oculares em cães

Publicado em: 23/02/2018 | Categoria: Dicas Pets

Os olhos são órgãos muito sensíveis, que podem apresentar irritação e coceira até mesmo com a presença de um pequeno elemento externo, por esse motivo a atenção deve ser redobrada quando fala-se sobre doenças oculares. 

Os cães, assim como seres humanos, são propensos a desenvolver alguns problemas oculares.

Alguns sintomas que indicam a presença de problemas oculares em cães são:

  • Sensibilidade à luz;

  • Coceira;

  • Olhos avermelhados;

  • Secreção nos olhos; 

  • Lacrimejamento;

  • Inchaço; 

  • Manchas nos olhos;

  • Pisca excessivamente;

  • Esbarra em objetos e móveis da casa;

  • Evita pular de locais altos.

 

Caso note um/ou mais dos sintomas citados acima é imprescindível procurar auxílio imediato de um médico veterinário, como dito anteriormente, o olho é um órgão muito sensível, por isso qualquer sintoma deve ser tratado o mais rápido possível, para que as chances de cura sejam maiores.

 

Alguns dos problemas oculares comuns acometidos em cães são:

 Glaucoma: o glaucoma é uma doença onde o  nervo que liga o olho ao cérebro encontra-se danificado, quando presente deixa o globo ocular inchado (como se fosse saltar). É uma doença que causa muita dor, por isso deve ser tratada imediatamente. O tratamento inclui colírios, medicamentos e cirurgia.

 Catarata: é uma mal caracterizado pela cor esbranquiçada da córnea, apesar de ser bem mais comum em cães idosos pode também surgir em animais jovens por conta de características congênitas. Normalmente é tratada com cirurgias, entretanto apenas um veterinário saberá diagnosticar com propriedade.

 Úlceras de córnea: é uma infecção ocular que provoca uma ferida sobre a córnea, os sintomas são: secreção ocular, coceira nos olhos e fotofobia (aversão à luz por conta da dor que ela produz). Caso note algum dos sintomas leve-o imediatamente a um veterinário, pois quanto mais cedo o tratamento se iniciar, há mais chances de bons resultados. 

 

Todas as doenças citadas podem afetar cães, entretanto pets que apresentarem olhos mais expostos (como por exemplo: shih-tzu, lhasa, pug, bulldog, pequinêse, etc) contam com uma predisposição mais elevada para qualquer tipo de trauma ocular.

Caso haja a constatação de cegueira, existem alguns cuidados que o dono deve tomar para que haja uma melhor adaptação, algumas dicas importantes são: não mudar móveis de lugar, pois isso evitará incidentes, sempre deixar os utensílios do pet (caminha, pote de ração e de água, etc) nos mesmos locais, além de prestar mais atenção caso haja piscinas, janelas ou locais que possam ocasionar acidentes, se necessário coloque telas de proteção.  

 

Prevenção

Algumas atitudes podem ser tomadas para diminuir as chances dos nossos cães serem acometidos por lesões oculares, como:

  • Utilizar shampoos próprios para cães, hipoalergênicos (não ocasionam reações dérmicas nem oculares) e com baixa irritabilidade dérmica;

  • Não utilizar colírios sem a prescrição de um veterinário (nem nenhum outro tipo de medicação);

  • Não deixar seu cão ficar com a cabeça para fora de veículos em movimento, além do perigo de acidentes, o vento faz com que os olhos fiquem secos e irritados;

  • Realizar tosas periódicas, ou prender os pelos que ficam muito próximos aos olhos do cão;

  • Após o banho, não direcionar sopradores ou secadores diretamente nos olhos dos animais. 

  • Realizar limpeza nos olhos de seu pet, utilizando um pedaço de algodão limpo (ou gaze) com soro fisiológico e deslizando suavemente de cima pra baixo, removendo assim a sujeira, (lembre-se de utilizar um novo algodão quando repetir o procedimento no outro olho).

 

De qualquer modo, a melhor forma de prevenção é fazer visitas a um médico veterinário anualmente, para a realização de exames periódicos (check-up). Caso você perceba algum tipo de mudança, algum dos sintomas descritos, ou não, é importante levá-lo imediatamente a uma clínica veterinária, para que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível, evitando danos graves, garantindo bem-estar e saúde para nossos pets.





Deixe seu comentário