FIV e FeLV

Publicado em: 04/05/2018 | Categoria: Dicas Pets

FIV

O que é FIV?

FIV (Vírus da imunodeficiência felina) é um vírus que faz com que os gatos possuam a imunidade baixa, ou seja, ele não conseguirá combater doenças, mesmo que estas sejam simples, como, por exemplo, uma gripe.

 

Sintomas

A FIV pode permanecer no organismo dos gatos mesmo sem apresentar sintomas (mas ainda pode ser transmitida) na fase inicial da doença, o gato pode ter febre, aumento dos gânglios linfáticos e da chance de contrair infecções intestinais e cutâneas. 

A maneira como o gato infectado apresentará a doença dependerá da fase da vida em que ele foi contaminado.

 

Transmissão

A transmissão ocorre apenas de gato para gato, ou seja, não é transmissível para humanos nem para cães, e é feita por meio de:

  • Mordidas profundas durante brigas;

  • Mãe para filhote por meio da placenta ou amamentação;

  • Durante o ato sexual. 

 

FeLV

O que é FeLV?

A FeLV (Vírus da Leucemia Felina), também é exclusiva de gatos. Da mesma forma que a FIV, a FeLV também compromete a imunidade do gato, gerando outras patologias que implicam muito na saúde e no bem-estar dos gatos. 

 

Quais sintomas

O vírus da FeLV também pode permanecer no organismo sem manifestar nenhum sintoma, mas, ainda assim, pode ser transmitida. Alguns sintomas são:

  • Perda de peso;

  • Anemia;

  • Dificuldades respiratórias;

  • Febre;

  • Problemas nas gengivas;

  • Problemas estomacais e mucosas alteradas na região dos olhos.

 

Transmissão

Assim como a FIV é transmitida apenas para gatos, a transmissão ocorre por meio de:

  • Mordidas

  • Lambidas;

  • Compartilhamentos de caixas de areias, potes de água e comida;

  • Mãe para filhote por meio da placenta ou amamentação;

 

Prevenção

A melhor forma de prevenir o surgimento da FIV é não deixar seu gato ter acesso à rua sem supervisão, pois não há como saber se ele brigará ou se relacionará com algum portador dessas patologias. Além de que, mantê-lo dentro de casa também o protegerá de acidentes. 

Caso adote um outro gatinho se certifique de que ele é negativo para FIV e FeLV antes de colocá-lo em contato com o gato já residente. Lembre-se também de vacinar seus gatinhos e manter um acompanhamento periódico a um veterinário.

 

Tratamento

Nenhuma das duas doenças possuem cura, o que se pode fazer é tratá-las para que não se agravem com o passar do tempo, focando principalmente em aumentar a imunidade dos gatos, para que não contraiam doenças secundárias que mesmo estas não sendo tão graves, podem levar o gato a morte.

Na FeLV, em grande parte dos casos, é recomendado a transfusão sanguínea e a quimioterapia, podendo ajudar e prolongar a vida do animal. Rações específicas, medicações e complexos vitamínicos podem ser receitados por um médico veterinário para assim aumentar a imunidade e o apetite, para assim mantê-lo forte.

 

Caso não saiba se seu gato é ou não positivo para FIV ou FeLV, é importante que testes sejam realizados, leve seu gato a uma clínica veterinária e solicite os exames.

Caso o teste dê positivo, siga as orientações se seu médico veterinário em relação a cuidados especiais, medicações e etc. 

Também é necessário que haja, maior frequência nas consultas de check-up, observe o peso, a pelagem, as gengivas, os dentes, as orelhas e o apetite do gato. Evite estressar seu gatinho principalmente se for portador de uma, ou ambas, patologias citadas, e caso note a presença de parasitas inicie imediatamente o tratamento necessário.

Gatos possuidores de FIV estão sujeitos a doenças oportunistas como dermatites, estomatites, periodontites, entre outras, onde muitas vezes acabam morrendo dessas doenças secundárias e não da  Aids.

Acompanhe o comportamento de seu felino: se está bebendo muita ou pouca água, se está comendo muito ou pouco, se tiver alterações de comportamento (como estar extremamente agitado, ou muito quieto), caso apresente algo diferente do habitual é necessário que consulte um médico veterinário para que possa realizar os procedimentos necessários, garantindo a saúde e o bem-estar e de nossos pets.

Muitos gatinhos positivos para FIV e FeLV que se encontram em abrigos, dificilmente são adotados. Então é interessante cogitar a adoção de um gato portador de FIV ou FeLV caso não possua nenhum outro gatinho, ou possua gatos que já são portadores dessas patologias. Mas independente de serem ou não portadores, todos os gatinhos merecem ter um lar.





Deixe seu comentário