E quando o pet é o fumante passivo?

Publicado em: 23/02/2015 | Categoria: Dicas Pets

 

 

Você sabe o que dizem: onde há fumaça, há fogo.

Um estudo recente da Escola de Medicina Veterinária da Universidade Tufts ressalta a ligação entre fumo passivo e câncer em animais de estimação. De acordo com o estudo, o fumo passivo pode causar câncer de pulmão e nasal em cães, linfoma maligno em gatos além de alergia e problemas respiratórios em ambos os animais.

 

Gatos são particularmente suscetíveis à fumaça do tabaco, o estudo constatou que a exposição repetida ao fumo passivo duplicou chances de um gato contrair câncer, e viver com um fumante por mais de cinco anos aumentou o risco quatro vezes. O linfoma é uma das principais causas de morte dos felinos.

 

Embora atualmente não haja estatísticas sobre quantos animais morrem a cada ano devido aos efeitos do fumo passivo, os estudos estimam que mais de 42 milhões de adultos nos Estados Unidos fumam regularmente, no Brasil o número de fumantes caiu 20,5% em cinco anos, no entanto hoje estima-se que há 24,6 milhões de fumantes, o que significa abundância de animais em risco.

 

Se você é fumante e dono de um animal de estimação, fique atento para os sintomas de câncer, que incluem tosse, dificuldade para comer ou respirar, salivação excessiva, perda de peso, vômitos, secreção nasal, sangramento, e espirros. Observando qualquer um desses sintomas, procure seu veterinário de confiança.

 

Não se esqueça de descartar com bastante cuidado a carteira de cigarros, para evitar que seu amigo peludo a ingira.





Deixe seu comentário