Novembro Azul: câncer de próstata também atinge os pets

Publicado em: 17/11/2017 | Categoria: Dicas Pets


Novembro Azul: câncer de próstata também atinge os pets

 Principais sinais da doença:

  1. O aumento da quantidade de vezes que o pet faz xixi (Polaquiuria);

  2. Presença de pus ou sangue na urina;

  3. Dor;

  4. Constipação;

  5. Perda de peso;

  6. Apatia;

  7. Dificuldade para defecar, urinar ou andar;

  8. Cansaço;

  9. Inchaço abdominal.

Tratamento:

O tratamento para casos de Hiperplasia Prostática Benigna é a castração. Porém existem medicamentos que diminuem temporariamente o aumento da próstata, entretanto os efeitos colaterais têm de ser exemplificados por um médico veterinário de acordo com o diagnóstico.

Já o tratamento para o câncer diagnosticado, além da castração, é baseado em quimioterapia e cuidados que amenizam as dores. Para isso, a medicação e os cuidados com a alimentação são de grande importância. Os efeitos colaterais da quimioterapia em si, não são tão intensos como nos humanos, os animais tendem a aceitar melhor a medicação.

Prevenção:

A visita anual/semestral (dependendo da idade ou doenças pré-existentes já conhecidas) ao veterinário para diagnóstico precoce, e os exames de rotina sempre são recomendados para a prevenção da doença.O tumor benigno possui sintomas muito parecidos ao câncer de próstata e cães não castrados são mais propensos a desenvolvê-los. Por isso, a castração é importante, inclusive para prevenir infecções e os tumores benignos. Da mesma forma que os seres humanos, a idade avançada é o principal fator de risco. “De qualquer forma exames clínicos devem ser realizados mesmo antes da idade de predisposição, pois assim como os humanos, quanto antes diagnosticados, maiores as chances de sucesso no tratamento", diz a veterinária Carolina Ferraz, médica responsável Sweet Friend.

Em casos de suspeita de câncer, independente da origem, ou da presença dos sintomas descritos, não se deve esperar, o médico veterinário precisa ser acionado imediatamente, visto que o tempo e o diagnóstico precoce são extremamente essenciais para um tratamento eficiente, e assim garantir qualidade de vida aos pets.


FONTE: Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-SP)
Dra. Carolina V. B. Ferraz CRMV 22.835





Deixe seu comentário