Primeiros Socorros - Intoxicação

Publicado em: 06/07/2014 | Categoria: Artigos

Hoje temos nossos animais como filhos e só de imaginar que alguma coisa pode acontecer nos dá falta de ar, não é mesmo?!
Claro que devemos sempre procurar um veterinário quando desconfiamos que algo não está certo, no entanto em alguns casos é importante que façamos algo antes de correr.

Eu sempre digo que todas as pessoas que possuem um animal em casa, devem possuir um kit de primeiros socorros. Nesse artigo vamos falar de alguns casos que devemos agir antes de irmos ao veterinário e o que ter nos kits para que o risco de morte seja menor para nossos filhos.

Vamos começar por intoxicações ou envenenamentos. Diversas plantas são tóxicas aos animais, temos que ter bastante cuidado com quais plantas temos em casa e principalmente a altura que elas se encontram. Não estou dizendo que não podemos ter aquela planta tóxica que tanto gostamos, apenas cuidar para que o pestinha não a alcance. A primeira planta que vem à nossa cabeça é a “comigo ninguém pode”, essa é clássica, no entanto existem mais de 80 espécies que podem fazer mal aos animais e nós nem imaginávamos, como por exemplo, açucena, azaléia, jasmin e narciso, que são plantas comuns nos jardins residenciais e podem desencadear uma intoxicação bastante grave. Além das plantas em si, os adubos colocados na terra também são perigosos e existem muitos animais que não resistem a uma terrinha e estão sempre prontos para cavar e muitas vezes ingerem esses adubos. Além de plantas, intoxicações podem ocorrer por produtos de limpeza, raticidas e etc...acreditem, muitos animais conseguem abrir os armários e fazerem aquela bagunça com os produtos “guardados”. Bom, vamos ao que interessa, nos casos de intoxicações por ingestão, a primeira coisa a fazer é provocar o vômito, e não é colocando a mão na garganta dele que vamos conseguir esse feito. Para provocarmos vômito nos animais temos que forçá-los a ingerir água oxigenada 10vol. Com uma seringa dê a ele em média de 5-10ml e aguarde, provavelmente ele vomitará em 5 minutos. Após o vômito, prepare carvão ativado (encontrado em qualquer agropecuária) e force-o também com uma seringa. O carvão ativado diminui a absorção gástrica das toxinas. Feito isso, ligue para seu veterinário de confiança e leve-o para que o tratamento continue. Apenas provocando o vômito e oferecendo o carvão ativado, em muitos casos não é o suficiente para neutralizar os efeitos da intoxicação, portanto não espere!!!

Já vimos os principais itens do nosso kit de primeiros socorros: seringa de 10 ml, água oxigenada e carvão ativado.

As intoxicações podem ocorrer também por contato com a pele, como é o caso de carrapaticidas. Existem no mercado, diversos carrapaticidas que quando utilizados da forma correta não desencadeiam uma intoxicação, no entanto infelizmente muitas pessoas utilizam produtos que não são indicados para aplicação nos animais, como os para tratamento do ambiente e até venenos para formiga. Essas formulações quando em contato com a pele, são absorvidas por ela e causam diversas reações, tanto locais quanto sistêmicas. Nesse caso não adianta provocar vômito, então temos que no mesmo momento colocar o animal embaixo de água corrente, tentando retirar ao máximo o produto aplicado e então levá-lo ao veterinário. É importante ressaltar que os sinais de intoxicação por contato não aparecem necessariamente no momento da aplicação, podem ser evidentes até no dia seguinte. Claro que a minha indicação aqui é NUNCA aplicarem produtos que não tem essa finalidade. Os carrapaticidas parecem ter um preço alto, mas na sua maioria seus efeitos duram um mês, enquanto esses outros se não causarem uma intoxicação têm duração momentânea, no dia seguinte os animais podem estar infestados novamente. E se causarem uma intoxicação, o custo com o veterinário ficará bem mais alto do que se tivesse comprado o indicado para animais. Então não pensem no desembolso do dia e sim durante o mês e principalmente na saúde do seu animal.

Em alguns casos, a intoxicação, seja ela por ingestão ou contato, não consegue ser revertida e o animal vem a óbito, isso depende do tempo decorrido, imunidade do animal e o tóxico em questão. Coloque a saúde e bem estar do seu animal em primeiro lugar sempre antes do seu bolso!

 

Artigo escrito pela Dra. Carolina V. B. Ferraz
CMRV-SP 22.835





Deixe seu comentário